Máquina Social – Com quem você anda? – Youtrading

Máquina Social – Com quem você anda?

Máquina Social – Com quem você anda?

//
Posted By
/
Comentário0
/
Categories

Sexta-feira, dia 29/01, fui a um restaurante com minha esposa e meu filho. O restaurante é um lugar simples, mas a comida é realmente muito boa. O lugar é um pouco antigo, as mesas simples e aquelas cadeiras de madeira. O piso é de um modelo de uns 20 anos atrás, mas é tudo limpinho. Gosto de ir a esse restaurante de vez em quando. Eles também servem rodízio de carne assada, então geralmente eu acabo comendo mais do que deveria.

Mas, sexta-feira foi uma visita diferente. Não sei, talvez seja a minha mente que está treinada a procurar padrões no mercado. Mas olhando pros garçons que servem a carne, identifiquei um padrão de comportamento que simplesmente gritou aos meus olhos.

Primeiro foi um dos garçons que estava nitidamente desmotivado. Ele andava de forma lenta e preguiçosa, meio que arrastando os pés de forma apática. Usava uma calça preta, uma camisa branca e devia ter uns 50 anos. Ele simplesmente chegava na mesa e dizia o nome da carne: “fraldinha?”, “linguiça?”.

Eu notei o desânimo do garçom e comentei com minha mulher, baixinho: “olha a vontade que o garçom está de trabalhar”. Ela reparou e sorriu.

Então, no fundo do restaurante, notei outro garçom, que andava EXATAMENTE do mesmo jeito que o primeiro. Também andava lentamente e sem energia, de forma apática e indiferente, quase arrastando os pés.

Foi aí que alguma coisa fez um “CLICK” na minha cabeça e eu consegui ter uma visão panorâmica do que é o restaurante. Ambos os garçons, andando e se comportando exatamente do mesmo jeito, eram como pequenas peças de algo muito maior que eles próprios. Eles eram engrenagens de uma máquina com vida própria.

Eu achei aquilo o máximo e olhei pra outro garçom. Adivinha como ele andava. Acertou. Do mesmo jeito que os outros dois, de forma lenta, apática, indiferente e preguiçosa. Procurei por outro e vi o churrasqueiro, exatamente da mesma forma. Vi então o funcionário que marcava os pedidos de bebidas e voilá, do mesmo jeito. Eu comecei olhar à minha volta e vi que todos os funcionários do restaurante tinham exatamente o mesmo padrão de comportamento. Todos eles compunham o que naquele momento ficou muito claro pra mim como sendo uma complexa Máquina Social.

Cada um deles era uma pequena engrenagem dentro daquele contexto. Então, vi um cliente andando pelo salão do restaurante e adivinha? Pois é, ele estava no mesmo estado de ânimo que os garçons.

Saí de lá extremamente entusiasmado com o que havia acabado de perceber e sabendo também que uma grande parte das pessoas não veria isso. Também saí com duas lições:

• Todos nós, em algum nível, fazemos parte de uma Máquina Social. Algo maior e mais poderoso que a individualidade de cada um. Essa Máquina Social tem um poder gigantesco de nos deixar igualzinho à média das outras pessoas-peças-engrenagens da Máquina Social.

• A Máquina Social tem o poder de “engolir” todos os que entram em contato com ela, como no caso do cliente, que de forma inconsciente, começou a comportar-se exatamente da mesma forma que os funcionários do restaurante.

Portanto, meu amigo, tome muito cuidado com o contexto social no qual participa. Você inevitavelmente se tornará uma parte do contexto no qual está inserido. Você não pode escolher tornar-se ou não uma parte da Máquina Social na qual está inserido. Pode escolher apenas fazer parte ou não daquela Máquina Social.

Outra coisa é tomar cuidado com os lugares que frequenta, já que a Máquina Social tem um imenso poder de contagiar qualquer um que entre em contato com ela. No meu caso, especificamente, provavelmente, não voltarei mais naquele restaurante.

E aí, de quem você tem se rodeado? Pare agora e pense:

“De quais Máquinas Sociais eu participo? O que elas tem feito a mim?”

Simplesmente ter essa clareza te fará ver que existem certas Máquinas Sociais que fazem mais mal do que bem. A escolha será sua de participar ou não desse contexto social, mas enquanto estiver lá dentro, será sempre mais uma engrenagem do todo.

Essa visão panorâmica da influência social sobre os seus comportamentos e inclusive sobre o seu estado de espírito é algo importante para sua carreira como trader e também para sua vida como um todo.

De que contexto social você faz parte? Se, ao conseguir ver a Máquina Social da qual faz parte e ver que ela não é coisa boa, saia de lá, pois inevitavelmente você se tornará um deles.

O que eu te recomendo? Cerque-se de pessoas cuja energia, objetivos e conquistas são maiores e melhores do que os seus. Rodeie-se de pessoas de coragem e empreendedoras. Em tempos de crise, junte-se àqueles que ao invés de ficar com medo da tempestade, estão ajustando suas velas para aproveitar o vento.

Um grande abraço e boa semana!

Dyogenes Rodrigues. É professor da Youtrading e fundador do blog: Diário Fx Online – Formando Traders Independentes. Para mais informações ou artigos desse tipo, acesse: www.diariodeforexonline.com.br