Análise Ibovespa: Sou do contra, e daí? – Youtrading

Artigos

A Youtrading disponibiliza para você uma série de artigos

Análise Ibovespa: Sou do contra, e daí?

///
Comentário
/
Categories

Bom dia, Pessoal!

Vamos direto ao assunto! Como sempre vamos dar um “giro” rápido pelo mundo e depois focamos em nosso índice BOVESPA.

Para o leitor que perdeu a Análise da semana passada basta CLICAR AQUI,  para ter acesso ao mesmo.

– Giro Rápido pelo Mundo

– Ásia-Pacífico: Durante a semana passada, a melhora do nível de desemprego na Austrália chamou a atenção do mercado e com isto ajudou a valorização do dólar australiano. Fato muito relevante se deu pelo pronunciamento da “Salt Industry Center of Japan”, comunicando que pela primeira vez em três décadas os preços de muitos de seus produtos poderão subir, demonstração clara que finalmente o governo japonês pode estar conseguindo trazer de volta a inflação em alguns setores do país.

– Velho Continente: Os números macroeconômicos divulgados durante a semana passada sobre o Reino Unido e sobre os países pertencentes à comunidade europeia vieram mistos, isto é, alguns melhores e outros piores do que o esperado pelos economistas. Apesar disto, o foco de todo o mercado recaiu sobre os comentários da Primeira Ministrada do Reino Unido que teria chegado a um acordo com a comissão europeia do BreXit.

Acompanhamos o mercado reagir fortemente a este fato, fazendo a libra esterlina ter uma das maiores altas em um único dia de sua história, contudo logo após vimos um grande movimento inverso visto que o acordo mencionado pela Primeira Ministra May não teria sido do agrado do parlamento britânico.

– Novo Continente: Apesar dos números que medem a inflação na maior econômica do mundo terem vindo em linha com o que era esperado pela grande maioria dos economistas, o índice de vendas ao varejo vieram melhor do que o esperado registrando uma alta de 0,80% no mês passado. Apesar disto, as bolsas da maior economia do mundo seguem sofrendo devido aos resultados empresariais abaixo do esperado junto com a queda do preço das commodities. O Sr. Trump voltou a mencionar seu descontentamento com o volume financeiro que os EUA destinam a OTAN/ONU, fato que gerou um “desconforto” em diversos líderes europeus.

– Pousando em nossa movimentada República

Na segunda-feira vimos a divulgação do “boletim Focus” onde vimos: A expectativa segue de um aumento da Taxa Selic para 2019; um crescimento do PIB e uma redução no IPCA.

Outro fato importante que foi divulgado no último dia 13/11, foi que as vendas no varejo vieram muito abaixo do esperado no mês de setembro, registrando uma queda de -1,3%, impactando os preços das principais empresas cotadas em bolsa deste segmento.

Após esses “giros rápidos” vamos direto aos gráficos.

– Ilustração e Opinião

Enquanto o FTSE 100, um dos principais índices do Reino Unido, registrou uma queda de -0,34% no último pregão da semana o Dow Jones, um dos principais índices Norte-Americanos, fechou em alta de +0,49%, contudo ambos fecharam no negativo no acumulado da semana.

Vamos dar uma olhada técnica em nosso índice.

Como de praxe, a primeira imagem foi utilizada na última análise que foi divulgada, enquanto que a imagem seguinte reflete o que aconteceu nesta semana junto com os cenários.

Durante a semana passada, foi possível identificar que inicialmente nosso índice Ibovespa permaneceu em cima da zona de suporte/resistência localizada na zona de 85.025 pontos, para então ser dominado pelos compradores e ir em direção ao cenário 01 que tinha desenhado semana passada. Observando o movimento de nosso IBOV nesta semana, penso em dois cenários possíveis:

– Cenário 01: O domínio exercido pelos compradores, especialmente nos últimos dois pregões, fez com que nosso IBOVESPA se aproximasse novamente de seu topo histórico (+-89.500 pontos), superando a zona de 87.200 pontos. Caso os compradores sigam no controle de nosso índice nesta semana, este fato poderia aumentar as probabilidades de superarmos o último topo histórico e irmos em direção da marca dos 91.000 pontos.

– Cenário 02: Apesar dos vendedores terem sido superados ultimamente, trago a lembrança de que a região onde atualmente se encontra nosso IBOV foi uma região considerada como sendo muito interessante pelos vendedores no mês de fevereiro deste ano, quando se deu início a queda que levou nosso índice de volta aos 70 mil pontos. Caso este fato volte a acontecer, este fato poderia aumentar as probabilidades de vermos um novo teste na região de 85 mil pontos e inferiores (como demonstrado no gráfico).

– Resumindo: O IBOVESPA acumulou uma valorização de +3,36% na última semana “descolando-se” novamente no mercado norte-americano, porém desta vez no sentido positivo.

Lembro que na próxima terça-feira teremos feriado em SP e sendo assim não teremos pregão nacional, mas na sexta-feira teremos a divulgação do IPC-15 bem como a divulgação do índice de evolução de empregos do Brasil o qual é esperado pelos analistas que venha acima de 100k.

Ressalto a importância que teremos no cenário internacional com a reunião da OPEC logo no início da semana, esta reunião poderá trazer um aumento de volatilidade no mercado de commodities, especialmente no petróleo.

Espero você na próxima semana!

Marco R Simonetto

MTeamBRwww.projetosat.mteambr.com